30 de julho de 2016

Carta aberta ao torcedor do Sport

13906845_1113996925345750_2819553523229235433_nNunca fui de acreditar em coincidências. Pra mim, tudo se encaixa, tem um sentido e um valor. A palavra “Ilha”, por exemplo, sempre me deixou confortável. Nasci e cresci em uma, a do Governador, no Rio de Janeiro. Hoje, tenho a do Retiro como minha casa. E não digo da boca para fora, pois assim como voltamos para o lar quando não estamos bem, voltei para Recife em um dos momentos mais difíceis da minha carreira. Não por algum problema com alguma pessoa ou com o Fluminense, que foi o clube que me deu oportunidades para ser jogador e sempre me deu tudo o que precisei para jogar em alto nível. Mas eu simplesmente não me sentia como me sinto aqui, por isso larguei tudo no Rio, minha cidade natal, e voltei para cá, onde meu coração se sente em paz. E a primeira grande marca desse casamento quase perfeito vem hoje. Completarei 100 jogos à noite, uma marca expressiva e que me emociona muito. Desde minha chegada ao Sport, há dois anos, eu sou mais um torcedor do Leão! Brigo dentro e fora de campo, deixo o sangue em campo, se for necessário! Mas não faria nada sozinho. Por isso, agradeço à minha família, que sempre me apoiou e me deu suporte em casa; aos meus companheiros de equipe, que me apoiam e estão juntos comigo em cada batalha; à diretoria, que sempre fez todo o esforço necessário por mim; e à torcida do Sport, que me recebeu de braços abertos e me empurra em cada jogo. Hoje vamos em busca de mais 3 pontos para, aos poucos, colocar o Sport no lugar onde ele merece estar! Vamos lotar a Ilha do Retiro e, quando isso acontecer, pergunto a vocês: PELO SPORT NADA?!

Um abraço,
Diego Souza